Português | English

Artigos

Esse ano celebramos a nossa Festa Junina de um jeito diferente, mas de forma muito alegre e significativa, honrando este evento que é tão rico e importante para a nossa cultura. Os “Festejos Juninos 2021” da be.Living  aconteceram ao longo da última quinzena do mês, através de diversas vivências culturais que geraram muitos aprendizados e momentos prazerosos para as crianças.

“Historicamente, a Festa Junina é uma festa organizada pelo coletivo, em que cada um da comunidade faz alguma coisa para compartilhar com os demais. São festas que louvam os santos como um agradecimento à colheita, ao que a terra nos dá a partir de um trabalho coletivo. Por isso que temos as comidas típicas, por isso que em todos os lugares do norte e do nordeste se compartilha comida. Então, aqui na be.Living, as festas juninas são sempre uma oportunidade para as crianças compartilharem o trabalho delas com a comunidade escolar”, explica Gabriela Fernandes, coordenadora do Ensino Fundamental.

A escola ficou toda colorida decorada com as bandeirinhas que cada criança trouxe de casa especialmente para enfeitar os festejos, e ganhou vida e alegria com a presença de meninas e meninos caracterizados para vivenciar as atividades da programação.

Os momentos do parque ganharam brincadeiras juninas organizadas pelo Year 5 e, durante uma semana inteira, todos puderam se deliciar com as gostosuras típicas da famosa Barraca de Doces que, este ano, ficou sob responsabilidade do Year 1 e do Year 2.

As turmas participaram de oficinas de manifestações culturais, onde puderam dançar e cantar não somente as canções tradicionais das festas de junho mas, também, de outras expressões da cultura popular brasileira. Tudo realizado com muita responsabilidade e segurança, respeitando os protocolos de saúde.

“Aqui na be.Living, a gente sempre entendeu a Festa Junina como um momento de apresentar para as crianças referências de todas as manifestações brasileiras de cunho popular, principalmente das regiões norte e nordeste em função de todo o apagamento dessas regiões para quem é aqui do Sul e do Sudeste. Então, nossas festas trazem expressões como o boi bumbá, o coco, o cacuriá, o maracatu e o cavalo marinho, como um resgate de toda a riqueza da cultura brasileira produzida pelo povo dessas regiões do Brasil, que são maravilhosas”, conta Gabi.