be.Living

O acolhimento como um método de trabalho na Educação Infantil

Na be.Living, entendemos que o acolhimento é um aspecto fundamental no processo educativo. Na Educação Infantil, pensamos no acolhimento como um método de trabalho a ser desdobrado ao longo de todo o ano, indo além daquele momento inicial dos semestres, quando as crianças novas estão chegando na escola.

“É fundamental que a escola continue olhando para as crianças, sob essa óptica do acolhimento, no decorrer do ano, diariamente. Muitas vezes lemos, ouvimos e refletimos sobre a prática do acolhimento somente em relação à chegada das crianças novas, mas, na verdade, toda a rotina da escola, do grupo, toda a gestão dos tempos e dos espaços, deve girar em torno do acolhimento das crianças. No momento em que o grupo se constitui, a rotina se estabelece, mas mesmo se reconhecendo dentro de um grupo, as crianças continuam sendo seres com processos muito individuais. Alguns dias estarão mais cansadas, outros dias, estarão mais ou menos interessadas, ou, ainda, vivenciando situações no contexto familiar que vão reverberar no dia a dia da escola… Por isso, é fundamental reforçar sobre a importância desse acolhimento que acontece o tempo todo, todos os dias, até o final do ano” – afirma Camila Maia, coordenadora da Educação Infantil.

Com o objetivo de aprofundar o olhar para esse aspecto específico do trabalho com os pequenos, Camila propôs à sua equipe de educadoras o estudo do livro “O Diário de acolhimento na escola da infância”. A obra, de autoria de Gianfranco Staccioli, professor da Facoltà di Scienze della Formazione da Universidade de Florença, busca romper com a visão de Educação Infantil como uma etapa preparatória para a alfabetização, propondo uma escola da infância acolhedora.

A coordenadora explica que a ideia é realizar o estudo ao longo do ano, capítulo a capítulo, relatando e refletindo sobre as experiências de uma pedagogia que se faz no dia a dia, a partir das relações de afeto e acolhimento entre crianças, professoras e famílias.

“A chegada na escola é, de fato, um contexto totalmente novo para as crianças, com grandes desafios. Mas no dia a dia, muitos desafios estarão sendo postos: na relação com o outro, nos limites, nas regras, nos combinados estabelecidos, no convívio coletivo. A criança que, por diversas razões, não está acompanhando a organização desses combinados ou que está destacada, de alguma forma, daquilo que está sendo esperado dela, deve ser olhada sempre com acolhimento. O comportamento dela pode estar manifestando sentimentos, necessidades, comunicando coisas que ela ainda não consegue expressar verbalmente, mesmo que ela já se comunique pela fala, dependendo da situação, quando está pega pela emoção, ela acaba manifestando no corpo dela. Então, precisamos sempre ter em mente esse olhar que vê a criança com profundidade, ou seja, que a acolhe”.

Além de instrumentalizar as professoras com relação ao trabalho a ser desenvolvido com as crianças, o objetivo deste estudo é, também, promover o acolhimento da própria equipe. “É muito importante que as professoras se acolham, a si próprias e umas às outras, e que a gestão possa acolher o movimento da equipe docente, olhando para cada uma delas, respeitando os seus tempos e as suas necessidades, que são diferentes. Serão momentos de partilha, de escuta e reflexões significativas sobre tudo aquilo que emerge no dia a dia de uma jornada educativa que seja afetiva e que acolha todos os que nela estão envolvidos”.

plugins premium WordPress